Úrsula Bezerra fala sobre dublagem no Anime Rescue

Ana Melo
Por Ana Melo
04/04/2016

Voz de Naruto e Goku criança, entre outras personagens, Úrsula Bezerra foi destaque na primeira edição do Anime Rescue. Em entrevista no palco principal, conduzida pela equipe do blog Infosfera, a dubladora e diretora de dublagem falou sobre seu trabalho e sobre o mercado atual na área.

Assim que subiu no palco, Úrsula já realizou o desejo dos fãs de ouvir, pessoalmente, o conhecido ataque da personagem de Dragon Ball: “Kamehameha!”. Ao falar sobre Goku, Naruto e outros de seus trabalhos, a dubladora expressou seu gosto pela profissão. “Na dublagem você pode ser o vilão, o mocinho, o nerd, tudo no mesmo dia, e não precisa ter um biotipo para isso. Poucos setores artísticos te dão tanta oportunidade”, destacou.

Veja também:

> Os melhores cosplays do Anime Rescue

> Cultura nerd de mãe para filha: a origem do Anime Rescue

Nascida em uma família de dubladores – seus irmãos Wendel e Ulisses Bezerra também são conhecidos na área –, Úrsula começou a carreira aos sete anos e, antes disso, já trabalhava na televisão. Em sua carreira, ficou conhecida por dublar meninos em desenhos. Úrsula explicou que, como a voz de garotos poderia mudar durante o período de gravação, muitas empresas escolhem mulheres para realizar o trabalho.

Além dos animes, Úrsula também dubla filmes e jogos e comentou quais os desafios de cada um. Nos jogos, a dubladora destacou a dificuldade de saber que tom colocar na fala, já que, muitas vezes, no momento da gravação, tem-se apenas as frases sem contexto. Quanto aos filmes, o obstáculo apontado foi a sincronização, pois, por receio de vazamento do produto, as empresas o enviam com imagens embaçadas, de sorte que os dubladores não conseguem ver com clareza as expressões dos atores.

Questionada sobre a dublagem no Brasil atualmente, Úrsula afirmou que o mercado de trabalho na área cresceu muito desde que começou. No entanto, ela ressaltou a dificuldade de se destacar no início da carreira até conquistar espaço e reconhecimento. Além disso, a dubladora criticou a censura brasileira na dublagem, que julga uma “hipocrisia”. “O que eu não gosto da censura é o falso moralismo. Em algumas novelas, os atores podem até falar palavrão, mas na dublagem não podemos falar nem ‘bunda’”, disse.

Apesar do atraso na programação e do tempo limitado, já que deveria voltar a São Paulo no mesmo dia, Úrsula tirou fotos com os fãs individualmente e respondeu a suas perguntas. A dubladora deu conselhos para jovens que desejam seguir a profissão, salientando a  obrigatoriedade de documentação e sugerindo que fizessem um curso para aprimorar as habilidades. “Difícil é, mas impossível, não. Basta você querer e acreditar no seu sonho”, afirmou.

Em entrevista à Taberna, Úrsula falou sobre sua identificação com as personagens que dublou. “A determinação do Naruto, a alegria e a inocência do Goku, aquela coisa de criança do Chuckie. Cada um deles me encanta por motivos diferentes. Eu sou apaixonada pelos meus personagens”, ressaltou.

O Anime Rescue ocorreu no dia 3 de abril, na Escola Técnica Estadual Parobé, em Porto Alegre.