As teorias sobre Tom Bombadil

Gustavo Kaspary
Por Gustavo Kaspary
23/07/2015

Qualquer breve referência a Tom Bombadil costuma causar sentimentos confusos nos fãs de J.R.R Tolkien.  Não são poucos aqueles que o acusam de ser um personagem maçante e com limitados acréscimos a’O Senhor dos Anéis. Aqueles, porém, que, quem sabe durante uma segunda viagem pelos capítulos de Bombadil, lerem com mais calma e notarem a essência deste misterioso ser, podem considerá-lo parte fundamental da mitologia da Terra Média. Trata-se, afinal, de uma figura misteriosa, que fizera da Floresta Velha, local perigoso e pouco habitável, sua moradia e que pouca importância dava aos demais problemas que cercavam os reinos além de sua própria morada.

Um dos elementos que tornam Tom tão obscuro é a questão de a qual raça ele pertence, pois, embora de semelhante estatura, era estranho aos olhos dos hobbits. Durante a Terceira Era, a presença de homens no norte era quase nula; obviamente, Bombadil não possuía o brilho dos Eldar e a opção de que fosse um anão é rejeitada por ele preferir árvores e colinas ao invés de montanhas e riquezas. Faz-se necessário, então, partir do pressuposto de que Tom Bombadil pertencesse a uma estirpe de grau superior, vez que tal afirmação é fortalecida pelo fato de que o Um Anel não teve efeito sobre ele.

Leia também:

> J.R.R. Tolkien: o mago da fantasia

As-Aventuras-de-Tom-Bombadil-J.R.R-TolkienHá quem diga que Tom Bombadil pudesse ser o próprio Eru, Illúvatar para os elfos, criador dos Primogênitos (elfos) e Sucessores (homens).  A simples ideia de que o personagem seja capaz de gerar diversas teorias acerca de sua natureza já deve elevar, ao menos um pouco, seu mérito entre os leitores. A hipótese de que o descontraído morador da Floresta Velha seja o senhor de Ëa torna-se, porém, improvável quando consideramos Fruta D’Ouro, mulher de Tom, pois estranho seria pensar que o pai dos Valar e de toda a Terra tivesse uma companheira. Vale ressaltar que Fruta D’Ouro é mais um mistério deste quebra-cabeça, dado que suas características e história são apresentadas de maneira intricada.

De grau inferior e vassalos dos Valar, os Maiar são parte de mais uma teoria acerca da raça de Tom. São seres que possuem forma indefinida e foram criados para fazerem companhia aos senhores do Oeste e de Valinor. Um bom exemplo desta linhagem seria Sauron, súdito de Melkor, e que conseguia aparentar ser um belo homem ou até possuir aparência de animais; após a queda de Númenor, o Maiar teve que viver o restante de sua vida em sua grotesca e original forma. Não há, contudo, aspectos do caráter de tais súditos, logo a hipótese de que Bombadil seja parte de tal espécie se torna vaga.

Leia também: 

> Os filhos de Húrin: o acréscimo ao universo de Tolkien

Senhores dos Maiar, e primeiros seres criados por Eru, nos Valar reside a teoria com mais indícios de relação com Tom Bombadil. Primeiramente, a análise de quaisquer pistas deixadas pelos personagens deve ser feita: quando questionada sobre quem é aquele que vive nas fronteiras do Condado, Fruta D’Ouro responde, não de forma exata e sem desdém, que Tom é o senhor das árvores e dos rios, das florestas e até mesmo do Velho Salgueiro. Felizmente, os Valar são descritos de forma exata em O Silmarillion, e Anwë se encaixa perfeitamente com a descrição de Bombadil feita pela sua mulher: Anwë é o senhor de toda a matéria viva da Terra Média e Ëa e possui uma companheira, Yavanna, criadora das árvores de Valinor e senhora e provedora de frutos e árvores.

Lembrando que, por muito tempo, os Valar habitaram a Terra Média na Primeira Era e, mesmo depois do descontentamento dos Senhores do Oeste com os Noldor, muitos deles continuavam aconselhando os homens e, até mesmo, convivendo em torno deles.

Tom Bombadil reside no mistério.