Curta o Susto apresenta: Cargo

Senhor D
Por Senhor D
10/04/2015

Há quem diga que o objetivo do Terror é causar medo. Refiro-me ao Terror de natureza artística, obviamente. Talvez, a finalidade primitiva do gênero e de todas as suas subcategorias (incluo o Horror entre elas) seja mesmo essa, o medo.

Aqui nesta taberna, porém, eu digo aos amigos: o Terror não está aí para assustar, e sim para divertir — o que não interfere na intenção original, claro, pois ninguém está proibido de achar o susto uma coisa divertida.

Diversão, no contexto a que me refirmo, abrange as sensações diversas de contentamento. Assim, independente da razão pela qual você consome o Terror (seja masoquismo, sadismo ou qualquer outroismo de sua parte), você o faz porque, no fim das contas, isso te diverte. E a regra vale para qualquer outro estilo de arte. Você pode se divertir assistindo a um A Lista de Schindler, a um A Paixão de Cristo ou a um O Exorcista. Porque, no fundo, gostamos é de boas histórias.

E boas histórias não dependem do assunto, dependem da destreza de quem as conta. Elas também não precisam ser longas, pois o que importa não é o tamanho do tempo, mas como esse tempo é aproveitado. E isso vale para as artes plásticas, para a oralidade, para a literatura, para a música, para o cinema ou para qualquer outra manifestação ou mídia que exista ou venha a existir.

Em meio a tantos devaneios e obviedades, desembucho agora a razão de tamanho preâmbulo. Alonguei-me até aqui simplesmente para justificar a paixão que tenho por curtas-metragens. Curtas-metragens de Terror, especificamente falando. E é essa paixão que quero dividir com os companheiros desta espelunca a partir desta data. Sempre às 22h de cada sexta-feira, a Taberna do Mochileiro Jedi vai exibir o que há de melhor em curtas com temática de Terror. Vamos chamar este momento, esta coluna, este espaço, este encontro de Curta o Susto.

E para nossa estreia, trazemos o filme australiano Cargo. Dirigido por Ben Howling e Yolanda Ramke, trata-se de uma das histórias mais emocionantes já contadas dentro do Universo Zumbi. O filme foi lançado em 2013, então provavelmente muitos de vocês já conhecem. Mesmo assim, vale a pena clicar no play mais uma vez para acompanhar de novo a luta de um pai para salvar a filha do apocalipse e de si próprio. Quem não viu, prepare os lenços porque é grande a possibilidade das lagrimas rolarem.

CARGO